Notícias

Créditos para estacionar na Zona Azul de Londrina poderão ser comprados por aplicativo


Aplicativo começa a funcionar na sexta-feira (24), mas já pode ser baixado gratuitamente. Aplicativo da Zona Azul de Londrina começa a funcionar na sexta-feira (24) Zona Azul/Divulgação Motoristas que estacionarem nas ruas de Londrina, no norte do Paraná, a partir de sexta-feira (24), poderão pagar o tempo utilizado na Zona Azul por um aplicativo de celular. O serviço só estará disponível na sexta, mas o aplicativo já pode ser baixado gratuitamente. O aplicativo foi criado para agilizar e facilitar o pagamento do estacionamento em vias públicas. Para começar a usar, o motorista deve cadastrar dos dados pessoais, do veículo, comprar os créditos e indicar a forma de pagamento. Ao estacionar, deve indicar a quantidade de tempo que ocupará a vaga. O coordenador administrativo da Zona Azul, Wellington Marcati, explica que não será necessário indicar a rua onde deixou o carro. Os funcionários da Zona Azul vão verificar pela placa do veículo se a taxa foi paga corretamente. “No momento que o motorista adquire os créditos, o sistema já recebe essa informação automaticamente, e os agentes conferem o pagamento pela placa. Pelo sistema, o motorista que não utilizar todo o tempo que comprou poderá pedir a restituição do valor pago”, detalhou. Mesmo com o aplicativo, os parquímetros continuarão funcionando e os agentes vão continuar vendendo créditos. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

O que levar na mala da maternidade?


A partir da 33ª. semana, preparativos para o parto devem entrar na lista de prioridades da gestante. Veja o que não pode faltar na mala Uma espera que dura, em média, 40 semanas. Ao longo de todos estes meses, os pais ficam envolvidos com uma série de preparativos para receber o bebê; como montar o quartinho e garantir um bom estoque de fraldas. Além disso, a rotina envolve uma série de exames, treinamentos, consultas pré-Natal, grupos de aleitamento materno e acompanhamento da saúde da futura mamãe. Na Unidade Ginecológica Obstétrica da Clinipam, há um programa exclusivo para acompanhar as gestantes em todas as fases, o Gestante Bem Cuidada. Um dos grupos é direcionado para a ansiedade pré-parto e prepara as mães para o momento mais aguardado na família: o nascimento. A gerente do Materno Infantil da Clinipam, Taciana Mattos Ribeiro Bonete (COREN 273.068) explica que a metodologia utilizada nos grupos favorece o diálogo aberto: “equipe e gestantes trocam conhecimento e ajudamos a esclarecer as principais dúvidas sobre o parto. Há acompanhamento com psicólogos, preparamos as mães para lidar com boa parte das emoções que envolvem esta fase”. Planejamento para o parto A mala da maternidade deve ser preparada com antecedência e este é um dos temas abordados nos encontros do Programa Gestante Bem Cuidada da Clinipam. “Recomendamos deixá-la pronta a partir da 33ª. semana e instruímos as gestantes sobre os itens essenciais que devem ser levados”, diz Taciana. Ainda que a gestação dure até 40 semanas, com o bebê completamente formado, qualquer hora pode ser a hora de ir para a maternidade. Isso diminui a ansiedade, caso haja um parto antes da hora, a gestante já estará com a mala pronta e não corre o risco de esquecer alguma coisa”, reforça a gerente da unidade. O que não levar “Não recomendamos trazer chupetas e mamadeiras para não dificultar no processo do aleitamento materno. Sutiãs com bojo ou ferro também devem ser evitados, pelo mesmo motivo. As roupas para as mães devem ser confortáveis e a parte de cima de fácil manuseio. Orientamos que as roupas do bebê sejam lavadas antes e guardadas em kits separados para cada uso. Assim o momento da troca é mais fácil”, indica Taciana. O que levar Durante todo o pré-natal há orientações sobre a mala da maternidade. A gerente do Materno Infantil da Clinipam diz que as instruções são passadas tanto nos grupos presenciais quanto por e-mail e aplicativos de conversa. “Enviamos conteúdo mês a mês falando quando, como e por que a mala da maternidade é tão importante”, conta. Está na hora de preparar a sua mala da maternidade? Veja a lista com os itens prioritários. Mala da mamãe 3 camisolas e/ou pijamas abertos na frente; 3 calcinhas pós-parto; 2 sutiãs de amamentação; 2 pacotes de absorventes noturnos ou pós-parto; 1 cinta elástica pós-parto; 1 roupão para a circulação pelos corredores; 1 chinelo de borracha para banho; 1 chinelo de pano; sabonete; escova dental; creme dental; shampoo; escova de cabelo; toalha de banho. Mala do bebê 3 macacões ou tip-tops (evita roupas de lã); 3 panos de boca ou fraldas de pano; 3 conjuntos de pagão; 3 cueiros; 3 pares de meia; 2 fraldas descartáveis RN e/ou 2 fraldas tamanho P; 1 par de sapatinhos; 1 cobertor ou manta; 1 touca/gorro; 2 toalhas para o bebê; 1 shampoo neutro; 1 pomada para assadura; 1 sabonete líquido neutro para bebê; 1 vidro de óleo infantil; 1 vidro de álcool 70% líquido; 1 caixa de cotonetes; 1 escovinha macia ou pente; 1 pacote de lenço umedecido para RN. Após o parto, a Unidade Materno Infantil segue acompanhando puérperas e recém-nascidos. Há consultoria de aleitamento materno, consulta de puerpério e monitoramento telefônico pós-parto. Direção Clinipam: Dr. Gilton Guilgen: CRM 6838 Dr. Cadri Massuda: CRM 6310

Quadrilha suspeita de extorquir vítimas de carros roubados utilizava boletos bancários para conseguir dinheiro, diz polícia


Delegado afirma que grupo tinha acesso a dados pessoais de vítimas e enviava os boletos por aplicativo. Terceira fase da Operação Boi na Linha prendeu 22 pessoas no norte do Paraná nesta quarta-feira (22). Cartões de banco, celulares e arma foram apreendidos durante a operação Boi na Linha Reprodução/RPC Vinte e duas pessoas foram presas na terceira fase da Operação Boi na Linha deflagrada nas cidades de Rolândia, Centenário do Sul, Arapongas, Bandeirantes e Jaguapitã, no norte do Paraná, nesta quarta-feira (22). Três pessoas, alvos de mandados de prisão, são consideradas foragidas. A 'Boi na Linha' investiga uma quadrilha especializada em extorquir pessoas que tinham seus carros roubados. Segundo a polícia, os investigados ligavam para as vítimas, falavam que estavam com os veículos e pediam uma quantia de dinheiro para devolvê-los. A vítima depositava o valor, mas não recuperava o veículo. Além das prisões, a polícia ainda cumpriu 30 mandados de busca e apreensão. O delegado João Marcelo Chagas, responsável pela investigação, detalha que os criminosos descobriam dados sobre as vítimas e exigiam que as vítimas depositassem ou pagassem um boleto bancário com o valor da extorsão. “Por meio de um aplicativo, os criminosos tinham acesso a dados pessoais das vítimas e geravam boletos bancários em nome de terceiros, que muitas vezes não tinham relação com o grupo. Eles conseguiam gerar os boletos porque há instituições bancárias que facilitam esse procedimento. Os boletos chegavam por aplicativo também. Essa modalidade é usada para dificultar as investigações policiais”, explicou o delegado. Conforme o delegado de Furtos e Roubos de Curitiba, há vítimas de todas as regiões do estado, mas a quadrilha utilizava contas bancárias abertas na agência da Caixa Econômica Federal de Rolândia. Após os depósitos, o grupo sacava os valores sempre em lotéricas. “No momento que caia o dinheiro, um dos integrantes da quadrilha já estava em uma lotérica para sacar o valor. Eles agiam de forma muito rápida e coordenada. O chefe da organização atuava dentro da cadeia de Rolândia”, afirmou João Marcelo Chagas. A Polícia Civil apreendeu documentos e equipamentos eletrônicos que agora serão analisados pelos investigadores. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Teto de estacionamento desaba sobre carros no Centro de Foz do Iguaçu


Segundo o proprietário, estrutura era antiga e não aguentou o volume de água acumulado com a chuva que atinge a cidade desde a noite de terça-feira (21); ninguém ficou ferido. Ao menos 12 veículos que estavam no estacionamento foram atingido pela cobertura que desabou Vinícius Machado/RPC O teto de um estacionamento no Centro de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, desabou e atingiu ao menos 12 veículos. O acidente aconteceu na tarde desta quarta-feira (22). Ninguém ficou ferido. Segundo o proprietário do estacionamento, que fica na Avenida Brasil, disse que a estrutura era antiga e provavelmente não aguentou o volume de água acumulado com a chuva que atinge a cidade desde a noite de terça-feira (21). O dono disse ainda que deve arcar com os prejuízos causados. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

Moradores de cinco regiões de Ponta Grossa podem ficar sem água nesta quinta-feira (23)


De acordo com a Sanepar, obras de manutenção estão previstas para começar às 9h; Confira os locais atingidos. Moradores de cinco regiões de Ponta Grossa podem ficar sem água nesta quinta-feira (22) Moradores de cinco regiões de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, podem ficar sem água nesta quinta-feira (23). De acordo com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), as obras de manutenção estão previstas para começar às 9h. Confira as regiões que serão afetadas Jardim Boa Vista Portal Boa Vista Senador Flávio C. Guimarães Parque Dom Pedro I Sabará Segundo a companhia, a normalização deve ocorrer gradativamente, à noite. A Sanepar ainda lembra que só ficarão sem água os moradores que não têm caixa d'água de, pelo menos, 500 litros. Moradores de cinco regiões de Ponta Grossa podem ficar sem água nesta quinta-feira Reprodução/RPC Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.

Três homens são presos suspeitos de roubar carro e agredir motorista de aplicativo em Ponta Grossa

Ocorrência foi na madrugada desta quarta-feira (22), no bairro Boa Vista; vítima foi levada ao hospital com ferimentos leves. PM prende trio suspeito de roubar carro e agredir motorista de aplicativo em Ponta Grossa Três pessoas foram presas suspeitas de roubar o carro e agredir um motorista de aplicativo na madrugada desta quarta-feira (22), no bairro Boa Vista, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. De acordo com a Polícia Militar (PM), os suspeitos pediram uma corrida e, na hora de descer do carro, anunciaram o roubo. Ainda segundo a PM, o trio agrediu o motorista até que ele pulou do carro em movimento. Os três fugiram levando o carro e o celular da vítima. Horas depois, enquanto a PM fazia patrulhamento na região do Bairro São José, os policiais encontraram o carro roubado e prenderam os suspeitos. O motorista foi levado pro hospital da cidade, informou a PM, com ferimentos leves. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.

Ex-vereador de Cascavel presta depoimento na Delegacia de Combate à Corrupção

Damasceno Júnior é investigado por suspeita de exigir parte do salário de assessores e responde por peculato, concussão e ameaça. Ex-vereador Damasceno Júnior presta depoimento à polícia O ex-vereador de Cascavel, no oeste do Paraná, Damasceno Júnior (PSDC), prestou depoimento nesta quarta-feira (22) na Delegacia de Combate à Corrupção, da Polícia Civil. Ele é investigado por suspeita de exigir parte do salário de assessores e responde criminalmente por peculato, concussão e ameaça. Damasceno, nega as acusações. O depoimento durou cerca de uma hora e quinze minutos e será incluído na ação criminal ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MP-PR). O caso também é apurado em uma ação civil pública por improbidade administrativa que, entre outras sanções, pode levar o ex-vereador a, entre outras sanções, devolver o dinheiro supostamente recebido dos assessores. De acordo com Damasceno, ele está sendo vítima de uma “armação política”. “Eu não recebi. Não estou negando porque nunca peguei dinheiro de volta. Estou aí para contribuir com a investigação. Podem me investigar à vontade”, declarou ao destacar que também espera reverter a decisão da Câmara de Vereadores e poder reassumir o cargo. Até agora, sete pessoas foram ouvidas. A polícia deve pedir um exame grafotécnico para comprar com a letra de um bilhete supostamente enviado pelo ex-vereador a um assessor em que faz ameaças. Ainda não há um prazo previsto para a conclusão do inquérito criminal aberto pela Polícia Civil. Mandato cassado Damasceno Júnior foi cassado por unanimidade em uma sessão extraordinária no dia 28 de março. A decisão inédita que levou à primeira cassação de um vereador de Cascavel foi baseada no relatório final da Comissão de Ética, aprovado pelos membros na semana passada e que comprovou a irregularidade. Denúncia As investigações partiram de uma denúncia feita pela ex-assessora de Damasceno Júnior, Elidnéia dos Santos Silva, na qual ela anexou recibos que indicam que desde que passou a trabalhar para o vereador, em novembro de 2017, ela entregava mensalmente R$ 1.246 do salário de R$ 4,3 mil que recebia. Ela declarou ainda que além de pagar parcelas do financiamento de um carro chegou a entregar dinheiro no gabinete do vereador e que foi exonerada em novembro de 2018, logo depois de se recusar a continuar a fazer os repasses. Em depoimentos à comissão, outras duas assessoras declararam que entregavam por mês mais de R$ 2 mil ao vereador. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

VÍDEOS: Meio-Dia Paraná de quarta-feira, 22 de maio


Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.

Pontes em mau estado deixam moradores de Morretes sem transporte escolar e coleta de lixo


Problema afeta comunidades afastadas do centro da cidade. Moradores fazem reparos temporários para poder usar as pontes. Moradores de Morretes reclamam das condições das pontes da cidade Pontes em mau estado deixam comunidades de regiões mais afastadas do centro de Morretes, no litoral do Paraná, sem alguns serviços básicos, como coleta de lixo, transporte público e escolar, de acordo com os moradores. Na ponte sobre o Rio Sapitanduva, por exemplo, de acordo com os moradores, as madeiras estavam podres e a própria comunidade precisou trocar algumas tábuas. Mesmo assim, a van que faz o transporte escolar das crianças da comunidade não passa mais pelo local, por motivos de segurança. "São cerca de 100 famílias. Tem criança que mora dois quilômetros pra frente e tem que vir a pé até aqui pra poder ir pra escola", afirmou o chacreiro Renê Aparecido de Freitas. A ponte que dá acesso à comunidade do Candonga também precisou ser reformada pelos próprios moradores. Antes do reparo, dizem os moradores, ela estava intransitável. Moradores reclamam de pontes em mau estado em Morretes Reprodução/RPC "A gente deixou de ter coleta de lixo, deixou de ter o ônibus que passava aqui. Isso fere os nossos direitos", afirmou a estudante Priscila dos Santos Gasquez. Para tentar solucionar o problema, cerca de 20 moradores substituíram as madeiras da ponte para que ela pudesse ser usada novamente. "Só que o que nós fazemos é uma manutenção paliativa. Seria melhor que a prefeitura viesse e fizesse uma ponte de concreto para solucionar o problema", afirmou o morador Isael Alves da Silva. Segundo os moradores há pontes que estão há mais de seis anos sem manutenção. A Secretaria de Infraestrutura de Morretes afirmou que está fazendo a recuperação das pontes e estradas rurais e que elas serão concluídas seguindo o cronograma estabelecido pela administração municipal. Moradores reclamam de pontes em mau estado em Morretes Reprodução/RPC Veja mais notícias da região no G1 Paraná.

Secretário suspeito de envolvimento em morte de professor é exonerado


Orivaldo Malaggi, que comandava a Secretaria de Obras e Viação de São Miguel do Iguaçu, está preso desde o dia 22 de março. Orivaldo Malaggi está preso desde o dia 22 de março; ele é suspeito de envolvimento na morto do professor universitário e advogado Ricardo Ferreira Damião Júnior Divulgação Orivaldo Malaggi, que ocupava o cargo de secretário de Obras e Viação de São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná, foi exonerado. A decisão publicada no Diário Oficial do Município é válida a partir desta quarta-feira (22). Malaggi está preso desde o dia 22 de março suspeito de envolvimento na morte do professor universitário e advogado Ricardo Ferreira Damião Júnior. Secretário de obras de São Miguel do Iguaçu, preso em março, é exonerado O crime foi cometido em março de 2018, quando Ricardo Damião saía com o filho da faculdade onde dava aulas em Medianeira, também no oeste. Ainda de acordo com o publicado no Diário Oficial, o novo secretário de Obras será o servidor municipal Paulo Garlini, que até então vinha ocupando o cargo de oficial administrativo. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

Carlinhos Maia apresenta show de humor 'Mas, Carlos!' pela primeira vez no AP


Espetáculo será no dia 30 de setembro, no Teatro das Bacabeiras. Apresentação aposta na interação com o público para garantir risadas. Comediante Carlinhos Maia se apresentará pela primeira vez em Macapá no dia 2 de setembro Divulgação O alagoano Carlinhos Maia é um dos fenômenos das redes sociais, somando quase 10 milhões de seguidores no Instagram e Facebook. Conhecido pelos vídeos bem humorados, o artista estará no Amapá pela primeira vez no dia 30 de setembro, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. O show havia sido marcado para o dia 2 de setembro, mas, por problemas de saúde da mãe dele, o artista anunciou o adiamento da apresentação através das próprias redes sociais. A organização do evento informou que os ingressos comprados anteriormente serão válidos para a nova data. A devolução do ingresso também está sendo feita. Maia se destacou na internet falando do seu dia a dia e assuntos cotidianos com irreverência, além de mostrar a convivência com os vizinhos na vila onde mora, na cidade de Penedo, em Alagoas. No show "Mas, Carlos!", que será apresentado na capital, o artista relata vários momentos de sua trajetória, até o sucesso com vídeos na web. Ele aposta na interação com o público para garantir risadas. Outro característica do show é que Maia conta, de forma bem humorada, um pouco sobre a vida de "digital influencer", que é uma espécie nova de celebridade. Marlon Santos, produtor do espetáculo, comenta que Maia é, atualmente, um dos maiores fenômenos das redes sociais e que o novo show dele é um dos mais procurados do país. "A motivação para trazer o Carlinhos [Maia] para Macapá é bem simples, ele está bombando nas redes sociais e todo mundo no país quer conhecer mais sobre ele, o que é justamente o que será apresentado no espetáculo", falou. Para garantir os ingressos antecipados, que custam de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Serviço Espetáculo 'Mas, Carlos!' Data: 30 de setembro (domingo) Local: Teatro das Bacabeiras Hora: 20h Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) Informações: (96) 98138-0887 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Michele Maycoth interpreta sucessos de Maria Gadú em noite romântica no AP


'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' fazem parte do repertório. Evento será realizado no dia 1º de setembro num espaço cultural na Zona Central de Macapá. Apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, em um espaço cultural em Macapá Michele Maycoth/Arquivo Pessoal Interpretando sucessos de Maria Gadú, uma das relevações da MPB, a cantora amapaense Michele Maycoth prepara um show que promete embalar os apaixonados. A apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, a partir das 20h, em um espaço cultural na Zona Central de Macapá. Com uma apresentação predominantemente acústica e intimista, a cantora espera estar mais próxima do público, principalmente para cantar junto com ela sucessos como "Linda Rosa", "João de Barro", "A História de Lilly Braun" e "Shimbalaiê". De acordo com a produção do show, Michele tocará durante mais de uma hora e também haverão participações especiais, entre elas, Alexandre Moraes, Erick Pureza e Nitai Silva. Os ingressos podem ser adquiridos em dois postos de vendas na Zona Central da capital e com a produção do show ao preço inicial de R$ 10. Sucessos como 'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' não vão ficar de fora do show Divulgação Serviço Michele Maycoth canta Maria Gadú Data: 1º de setembro (sábado) Hora: 20h Local: Quintal Walô 54 (Avenida José Antônio Siqueira, 1212, bairro Jesus de Nazaré) Ingressos: R$ 10 (1º lote) Postos de vendas: Norte Rock (Villa Nova Shopping); Quintal Walô 54 Informações e compra de ingressos: (96) 98142-0743 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Exposição 'Minha Aldeia' reúne fotografias inspiradas no cotidiano amapaense


Mostra reúne 27 imagens do fotógrafo Floriano Lima. Vernissage acontece no dia 24 de agosto no Sesc Centro, em Macapá. Visitações seguem até 20 de setembro. Mostra 'Minha Aldeia' busca evidenciar as belezas escondidas na simplicidade da vida no Amapá Floriano Lima/Divulgação Com fotos de paisagens, cartões-postais e até mesmo de trabalhadores à beira do Rio Amazonas, o fotógrafo Floriano Lima reúne 27 imagens que retratam o cotidiano amapaense na exposição "Minha Aldeia". A mostra ficará aberta ao público de 27 de agosto a 20 de setembro, na unidade Centro do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Macapá. O fotógrafo define não existir um tema específico na exposição, condição que deu a ele liberdade para retratar desde as fotos mais "clichês", até imagens comuns do dia a dia. "Sempre gostei de fotografar nossos cartões postais porque eles são muito bonitos e únicos. Então, por mais 'batidas' que pareçam, eles fazem parte da proposta da exposição", adiantou. Dormir na rede, trabalhar com embarcações ou até mesmo o céu no fim de tarde são inspirações para o fotógrafo, que diz buscar evidenciar as belezas escondidas na simplicidade. Todas as imagens foram feitas entre 2016 até este ano. Elas compõem fases da profissão de Floriano Lima, de 56 anos, que iniciou a fazer "clicks" aos 17. "Essas fotos são recentes e fazem parte da minha carreira profissional. Apesar de fotografar desde a adolescência, quando ganhei minha primeira câmera fotográfica, trabalho profissionalmente na área há cerca de 5 anos", contou. A vernissage da exposição acontece no dia 24 de agosto, às 19h público poderá prestigiar a mostra de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 11h e das 15 às 17h. Serviço Exposição fotográfica "Minha Aldeia" Data: vernissage 24 de agosto; visitações de 27 de agosto a 20 de setembro Hora: abertura 19h; visitações das 9h às 11h e das 15h às 17h Local: Sesc Centro Entrada: gratuita Fotógrafo reuniu 27 imagens para a mostra que acontece até o dia 20 de setembro Floriano Lima/Divulgação Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Peça teatral amapaense vai narrar acontecimentos 19 anos depois do último livro de Harry Potter


Espetáculo está marcado para os dias 16 e 17 de agosto, no Teatro das Bacabeiras. Adaptação amapaense vai regionalizar história original que é inglesa. Peça teatral 'Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado' será nos dias 16 e 17 de agosto, em Macapá Google Inspirada na peça londrina que contou os acontecimentos 19 anos depois de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", um grupo amapaense de teatro propõe uma adaptação do espetáculo que virou sucesso no Reino Unido e bateu recorde de bilheteria na Broadway. A apresentação acontece nos dias 16 e 17 de agosto, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. Intitulado "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois", a peça do grupo "O Beco Teatral e o Projeto Literar Amapá" segue a estrutura do espetáculo londrino, com os protagonistas da saga mais velhos e focando a aventura nos filhos do feiticeiro. De acordo com um dos diretores da peça, Iury Laudrup, o trabalho foi regionalizado. "Nosso trabalho é adaptar, uma vez que a peça original tem mais de 5 horas de duração. Então, encurtamos a história e regionalizamos o roteiro para que nossa peça tenha sua própria identidade", ressaltou. O espetáculo amapaense conta com oito personagens no elenco principal e 12 pessoas na produção e terá uma hora e meia de duração. Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos antecipadamente em três postos de vendas na Zona Central da capital, ao preço de R$ 15 + um quilo de alimento não perecível. História A montagem teatral continua a história de Harry Potter de onde o sétimo e último volume da saga de J.K. Rowling parou, com um enredo envolvendo um Harry adulto e o seu filho do meio, Alvo Severo. Ele também é pai de Tiago Sirius, o mais velho, e de Lília Luna, a caçula. Agora, Potter é um funcionário sobrecarregado de trabalho no Ministério da Magia, com três crianças em idade escolar. Ele "lida com um passado que se recusa a ficar no lugar ao qual pertence", diz um texto sobre a peça. Enquanto isso, Alvo, assim chamado em homenagem ao antigo diretor de Hogwarts e mentor de Harry, Alvo Dumbledore, se esforça para lidar com o peso do legado da família. Serviço "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois" Datas: 16 e 17 de agosto Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, 1087 – Centro) Ingressos: R$15 + um quilo de alimento não perecível Postos de Venda: Livraria Acadêmica (Macapá Shopping - Piso L2); Amapanime Space (Avenida Vereador Orlando Pinto, Nº: 640F - Santa Rita); Parada do Cachorro Quente (Rua Odilardo Silva, Nº: 2289 - Centro) Informações: (96) 98128-4949 / (21) 96979-6812 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Levantamento do G1 mostra variação de preço nas opções de transporte em Divinópolis; confira


Valores dos meios disponíveis na cidade variam de R$ 4,05 a R$ 15. Preço do transporte coletivo varia de acordo com forma de pagamento e para comunidades rurais TV Integração/Reprodução Quem mora em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, e precisa se locomover conta, atualmente, com três empresas de aplicativos, ônibus, taxis e mototaxis à disposição. Mas, destas, qual a mais barata? O G1 fez um levantamento com todos os tipos de transporte disponíveis na cidade. Com base em uma viagem de dois quilômetros, o usuário gasta entre R$ 4,05, caso opte por ir de ônibus, a R$ 15 caso faça o trajeto em um táxi ou em dos aplicativo disponíveis na cidade. Ônibus Segundo a Prefeitura, o meio de transporte mais utilizado no município é o transporte público, que tem cerca de 80 mil usuários por dia. O valor das passagens, no entanto, varia. Atualmente, o transporte público municipal custa R$ 4,05 para pagamento em dinheiro e R$ 3,60 para pagamento via cartão de vale-transporte. Segundo a Prefeitura, a frota é de 153 ônibus na cidade. Destes, 144 fazem viagens diárias e outros nove funcionam como veículos reservas. Para as comunidades rurais, o preço varia de acordo com a distância da comunidade ao centro da cidade. Veja na tabela os preços: Preços de ônibus para comunidades rurais em Divinópolis Táxis e Mototáxis Segundo a Associação dos Taxistas de Divinópolis, o número de motoristas não acompanha o tamanho da população. Atualmente, existem 90 taxistas no município espalhados em pontos estratégicos da cidade como no Centro, rodoviária e próximo à supermercados. A associação, no entanto, afirma que os pontos são insuficientes e bairros mais afastados também deveriam ter a presença dos veículos. Atualmente, uma corrida do Centro até o bairro Niterói, com cerca de dois quilômetros de distância, custa, em média, R$ 15 dependendo da bandeira. Valor médio do táxi em Divinópolis para corrida de 2 km é de R$ 15 Reprodução/TV Integração Deste valor, R$ 4,50 são impostos que devem ser repassados ao município – o valor é, também, o valor inicial registrado no taxímetro, segundo a associação. O serviço de mototáxi foi regulamentado em agosto do ano passado e atualmente, segundo a Prefeitura, cerca de 60 mototaxistas atuam nas quatro empresas regularizadas no município. O preço das corridas, no entanto, é calculado pelos próprios motoristas e não é tabelado. Usando como parâmetro a distância levantada com o táxi, três mototaxistas da cidade afirmaram valores distintos para a corrida: o primeiro disse ao G1 que cobraria R$ 5. O segundo, R$ 7 e o terceiro cobraria R$ 10 pela corrida. Segundo a Prefeitura, a diferença é considerada normal porque os gastos do mototaxista varia de acordo com o tipo de moto conduzida por ele e, diferentemente dos táxis, o serviço não possui um valor mínimo estipulado. Mototáxi também apresenta variação no preço Reprodução/Tv Integração Aplicativos A cidade conta, ainda, com três opções de transporte por aplicativo: Uber, Go Car e Uper 7. Para usar o serviço, o usuário deve instalar os respectivos aplicativos em seu smartphone. Segundo um dos proprietários do Go Car, Bruno Alvim, a tarifa do serviço é cerca de 25% menor do que a cobrada pelos táxis. Atualmente, a empresa conta com cerca de 20 veículos pela cidade. No trajeto entre o Centro e o Bairro Niterói, por exemplo, a corrida ficaria em R$ 7. A Uper 7, empresa fundada em 2009, afirmou contar com cerca de 30 veículos cadastrados na cidade. Destes, a tarifa básica dos taxistas é mantida e cobra-se entre R$ 2,17 e R$ 2,50 por quilômetro, dependendo do tipo de veículo solicitado. O valor estimado pelo aplicativo no trajeto escolhido pelo G1 apontou o mesmo preço do táxi. A Uber, por sua vez, informou, por meio da assessoria, que divulga somente dados estaduais. Segundo a empresa, em Minas Gerais atualmente existem 35 mil motoristas atuando pelo aplicativo. Um motorista que faz corridas pelo aplicativo da Uber em Divinópolis, e que pediu para não ser identificado, revelou ao G1 que existe um grupo de mensagens instantâneas com os motoristas da empresa na cidade e que, atualmente, existem cerca de 60 pessoas. No trajeto calculado pela reportagem, a corrida ficaria em R$ 6,75. Contudo, o motorista alerta que o preço varia conforme o horário e a demanda dos usuários. Com relação ao transporte particular, Divinópolis conta atualmente com cerca de 125 mil veículos - uma média de dois habitantes por veículo.

Show de humor em Macapá leva histórias de ribeirinhos da Amazônia para o teatro


Dupla Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara apresentam ‘Agora é que são Eles’, na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras. Lançamento de livros também marcam visita dos humoristas ao AP. Epaminondas Gustavo (com a bandeira) e Adilson Alcântara no show 'Agora é que são Eles’ Divulgação Histórias engraçadas de ribeirinhos que vivem no interior do Pará inspiraram o repertório de “Agora é que são Eles”, novo show de humor da dupla paraense Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara. A apresentação do espetáculo acontece na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras, em Macapá. Com o sotaque típico da região, o personagem Epaminondas Gustavo, interpretado pelo ator Cláudio Rendeiro, conta aventuras, reclamações, desavenças, conselhos e fatos de comunidades que vivem às margens de rios. A apresentação teatral é acompanhada por canções de Alcântara. Além de ator, Rendeiro é juiz do Tribunal de Justiça do Pará. Ele caracterizou o protagonista do show de humor como um morador de São Caetano de Odivelas, cidade natal do magistrado, com linguajar “caboco” e cheio de expressões. Alcântara é um artista paraense com 25 anos de carreira como cantor, compositor, humorista e produtor cultural. Ele é o responsável por equilibrar o humor com a paródia, que também faz parte da vida dos ribeirinhos, e conta as piadas com ritmo e acompanhado por um violão. A dupla fez uma apresentação em Macapá em maio, lotou o teatro e quer repetir a experiência na capital. Espetáculo leva histórias hilárias da região ribeirinha do Pará Divulgação Livros e palestra Um dia antes da apresentação no Teatro das Bacabeiras, os humoristas vão fazer o lançamento dos livros “Sátira de um Ribeirinho”, que traz crônicas e histórias no olhar de Cláudio Rendeiro, e “Lírica Ribeirinhas e Outras Margens”, com o lado poético do artista. O lançamento dos livros é gratuito acontece após uma palestra-show voltada para alunos do curso de direito, no auditório do Sebrae em Macapá. Serviços Palestra-show para estudantes de direito Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 19h Local: Auditório do Sebrae (Av. Ernestino Borges, 740 - Laguinho) Entrada: R$ 20 Lançamento dos livros Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 20h30 Local: Auditório do Sebrae Entrada: franca Show de humor 'Agora é que são Eles' Data: 3 de agosto (sexta-feira) Hora: 20h Local: Teatro das Bacabeiras Ingresso: R$ 30 Informações: (96) 98139-9346 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Sem dinheiro, venezuelanos acampam às margens de rodovia na fronteira do Brasil: 'aqui pelo menos temos comida'


Cidade de Pacaraima, em Roraima, tem abrigo público, mas ele é só para índios venezuelanos. Sem ter para onde ir, famílias inteiras estão vivendo às margens da BR-174, que liga os dois países. Angélia Aguilera, 18, e o filho de 2 anos ao lado da barraca em que estão vivendo há cerca de 1 mês; 'Na rua é muito frio' Inaê Brandão/G1 RR Venezuelanos estão vivendo em acampamentos improvisados em Pacaraima, no Norte de Roraima, na fronteira do Brasil. Um deles fica às margens da BR-174, rodovia que liga o país a Venezuela, e tem pelo menos 30 famílias. Conforme a prefeitura, a cidade tem uma média de 1,5 mil imigrantes em situação de rua - o equivalente a 22% da população local, que é de cerca de 15 mil habitantes. O município possui um abrigo público, mas ele é exclusivo para imigrantes indígenas. Procurada, a Força Tarefa Logística Humanitária, criada pelo Governo Federal para lidar com a imigração, informou que está em implantação um novo abrigo para não-índios na fronteira. Chamado de BV8, ele terá capacidade para 500 pessoas. No acampamento às margens da rodovia, famílias inteiras estão morando em barracas de camping e estruturas improvisadas com lonas, madeiras e até papelões. As estruturas são cobertas por plástico para proteger da chuva, comum neste período do ano. Na madrugada, a temperatura chega aos 16º C. A jovem Angélia Aguilera, de 18 anos, está no Brasil há um mês. Ela, o marido e o filho Elieser, de um ano, vivem nas ruas de Pacaraima desde então. "Aqui na rua é muito frio. Nunca imaginei que ia passar por isso", lamentou Angélia. A família saiu de Maturin, a 785 Km de Pacaraima, e conta a mesma história que outros milhares de venezuelanos que buscam refúgio no Brasil. "Vim porque na Venezuela não tem trabalho, comida e remédio. Não tem nada", disse Angélia, acrescentando que no país a família se alimentava apenas de mandioca e sardinha. O esposo trabalhava em uma empresa multinacional, mas o salário - corroído pela inflação diária de 2,8% - perdeu o poder de compra. Por isso, ele largou o trabalho há dois meses e a família resolveu tentar a vida no Brasil, onde busca trabalho. "A vida aqui está um pouco difícil porque não conseguimos dinheiro. Meu marido vende café na rua e não dá para quase nada. Mas dá para comer, sobreviver. Pelo menos temos comida", disse. O objetivo da família é chegar até Manaus. Luiz Sereño, 20, colocou bandeiras do Brasil na barraca improvisada: 'é uma homenagem ao país que me acolheu' Inaê Brandão/G1 RR O jovem Luiz Sereño, de 20 anos, também se mudou para o Brasil fugindo da crise econômica e política da Venezuela. Na barraca improvisada onde mora, o jovem colocou duas bandeiras do Brasil e disse que elas são uma homenagem ao país que o acolheu. "A bandeira representa a união. O Brasil nos recebeu como irmãos e sou grato", afirmou. Em Pacaraima, Luiz trabalha lavando carros. O dinheiro que consegue manda para a filha de três anos que ficou na terra natal. "A Venezuela tem muitos recursos naturais, mas já estamos cansados de passar fome. Tenho uma filha e chorava quando via ela comendo só manga". Na rua, os imigrantes cozinham em latas de tintas e, muitas vezes, dependem de doações de moradores para se alimentar. Sem lugar para se higienizar, aqueles que não possuem entre R$ 1 e R$ 4 para pagar um estabelecimento comercial para usarem o banheiro ficam sem banho e precisam fazer as necessidades em uma região de mata, na outra margem da rodovia. Imigrantes fazem comida em fogões improvisados Inaê Brandão/G1 RR Crise migratória Nos primeiros seis meses deste ano, mais de 16 mil venezuelanos pediram refúgio em Roraima, segundo a Polícia Federal. O número já é 20% maior do que o registrado em todo o ano de 2017, quando foram recebidas pouco mais de 13,5 mil solicitações. Nos últimos 18 meses, 128 mil venezuelanos que entraram no Brasil pela fronteira de Pacaraima (RR), mas destes, 31,5 mil, voltaram para a Venezuela pelo mesmo caminho, e os outros 37,4 mil saíram do país de avião ou por outras fronteiras terrestres. O Exército Brasileiro calcula que a média de entrada de venezuelanos em Roraima nos últimos cinco meses foi de 416 pessoas ao dia. Ainda não há números precisos sobre a quantidade exata de venezuelanos vivendo em Roraima, mas um levantamento da prefeitura de Boa Vista apontou que, só na capital, há 25 mil moradores venezuelanos – o equivalente a 7,5% da população local, que é de 332 mil habitantes. Desses, pelos menos 65% estão desempregados. Atualmente o estado conta com dez abrigos públicos, totalizando cerca de 4,6 mil pessoas, seis deles abertos só neste ano. Mesmo assim, ainda há venezuelanos em situação de rua em 10 dos 15 municípios do estado. Além disso, 820 imigrantes já foram levados em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) para São Paulo, Manaus, Cuiabá, Brasília, Rio de Janeiro, Igarassu (PE) e Conde (PB) no chamado processo de interiorização, que consiste em distribuir venezuelanos recém-chegados a Roraima para outros estados do país. Acampamento foi montado às margens da BR-174 Inaê Brandão/G1 RR Initial plugin text

Barracas de apoio aos romeiros começam a funcionar nesta sexta na BR-365 em Patos de Minas


Nos pontos de atendimento serão oferecidos alimentação, camas, escalda-pés, massagens e atendimento médico 24h até o dia 13 de agosto. Reprodução/TV Integração Os pontos de apoios aos romeiros começam a funcionar a partir desta sexta-feira (27) às margens da BR-365, km 439, após o trevo de Santa de Patos, em Patos de Minas. Serão oferecidos sanitários, camas, água e refeições durante 24h até o dia 13 de agosto. As Delegacias da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Patos de Minas e Uberlândia, realizarão a “Operação Romaria”, e a partir do dia 27 de julho haverá grupos dedicados à fiscalização de trânsito e do radar móvel na BR-365. Os romeiros terão direito a alimentação completa com café, leite, suco, pão e frutas, almoço, atendimento de saúde, além de escalda-pés, massagem e chuveiros. O Dia de Nossa Senhora da Abadia, padroeira do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, é celebrado no dia 15 de agosto e os fiéis católicos saem a pé até a cidade de Romaria como forma de agradecer ou cumprir alguma promessa.

Quilo do Pirarucu é vendido em Rondônia por R$ 9,36 no valor médio


Banana nanica, bezerro de corte e alface convencional também foram cotados. Valores se referem a preços pagos diretamente ao produtor. Veja quanto custa o preço do quilo do pirarucu em várias cidades Toni Mendes/ TG A Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO) realizou, entre os dias 16 a 20 de julho, a pesquisa de preços dos produtos agrícolas vendidos no estado. A cotação se refere ao valor pago diretamente ao produtor agrícola, nas unidades produtivas. Confira abaixo a lista de alguns itens: Peixe Pirarucu (quilo) Preço médio: R$ 9,36 Porto Velho: R$ 11,00 Guajará-Mirim: R$ 10,00 Ariquemes: cotação não informada Jaru: R$ 8,00 Rolim de Moura: R$ 7,40 Machadinho D'Oeste: R$ 10,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 9,00 Ji-Paraná: R$ 11,00 Colorado do Oeste: R$ 8,50 São Miguel do Guaporé: cotação não informada Costa Marques: cotação não informada Cacoal: cotação não informada Vilhena: cotação não informada Pimenta Bueno: cotação não informada Banana Nanica/ Nanicão (quilo) Preço médio: R$ 1,88 Porto Velho: R$ 2,00 Guajará-Mirim: R$ 1,80 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 2,00 Rolim de Moura: R$ 1,30 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 2,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: 1,50 Cacoal: R$ Cotação não divulgada Vilhena: R$ Cotação não divulgada Pimenta Bueno: R$ 2,00 Bezerro de corte (cabeça) Preço médio: R$ 960,71 Porto Velho: R$ 950,00 Guajará-Mirim: R$ 900,00 Ariquemes: R$ 950,00 Jaru: R$ 1.000,00 Rolim de Moura: R$ 1.100 Machadinho D'Oeste: R$ 1.000,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 1.000,00 Ji-Paraná: R$ 950,00 Colorado do Oeste: R$ 1.000,00 São Miguel do Guaporé: 720,00 Costa Marques: R$ 900,00 Cacoal: R$ 980,00 Vilhena: R$ 1.000,00 Pimenta Bueno: R$ 1.000,00 Alface convencional (maço) Preço médio: R$ 1,80 Porto Velho: R$ 1,50 Guajará-Mirim: R$ 2,00 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 1,50 Rolim de Moura: R$ 1,50 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 1,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: R$ 2,00 Cacoal: R$ 2,00 Vilhena: R$ 1,65 Pimenta Bueno: R$ 2,00

Confira as vagas de emprego do Sine em Macapá para o dia 24 de julho


Há oportunidades para auxiliar de vidraceiro, pescador, passadeiro, forneiro, técnico em laboratório e topógrafo. Número de vagas é de acordo com as empresas cadastradas. São ofertadas duas vagas para técnico em laboratório no Sine Macapá Divulgação/FVS O Sistema Nacional de Empregos no Amapá (Sine/AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. Os interessados podem procurar o Sine/AP, localizado n Rua General Rondon, nº 2350, na praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá e Santana. Outras informações e oferta de vagas são pelo número (96) 4009-9702. Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado). Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: Auxiliar de vidraceiro – 1 vaga Forneiro – 1 vaga Gerente de fibra óptica – 1 vaga Pescador especializado (PEP) - 1 Pescador profissional (POP) – 1 vaga Passadeiro – 1 vaga Motorista de pesca – 1 vaga Técnico em laboratório – 2 vagas Técnico em refrigeração – 1 vaga Técnico em edificações – 1 vaga Topógrafo – 1 vaga

Desenvolvido por Maikonlyne